Containers em terminal portuário

Cuidados necessários no transporte de alimentos

No transporte de qualquer mercadoria é necessário seguir procedimentos e regras para garantir que a entrega seja feita em perfeitas condições para o cliente.

No entanto, quando se trata de transporte de alimentos, os cuidados devem ser redobrados, devido a fragilidade da carga.

Isso ocorre porque os fretes de alimentos envolvem uma série de diretrizes e precauções que visam aumentar a durabilidade dos produtos.

Alguns itens como embalagens adequadas, veículos especiais, juntamente com uma boa comunicação com a equipe, são elementos cruciais para que a mercadoria chegue ao seu destino segura para o consumo humano.

Se quiser saber mais sobre os cuidados necessários no transporte de alimentos, neste artigo vamos dar algumas dicas, portanto, continue a leitura!

O que são alimentos perecíveis?

O que são alimentos perecíveis?

Os alimentos perecíveis são produtos que apresentam uma maior chance de se estragar, seja por um armazenamento inadequado ou devido à sua vida útil limitada.

Esses alimentos podem se tornar impróprios para consumo quando expostos a condições desfavoráveis, como variações de temperatura e contato com pragas.

Tais circunstâncias, juntamente com o vencimento da data de validade, podem resultar em danos à carga e favorecer o desenvolvimento de fungos.

Veja alguns exemplos de alimentos perecíveis:

  • Carnes cruas (bovinas, suínas, peixes, aves, etc.);
  • Ovos;
  • Leite fresco e seus derivados;
  • Frutas;
  • Legumes;
  • Hortaliças;
  • Cogumelos;
  • Gelo.

Tipos de transporte de alimentos

O transporte de alimentos se divide em duas categorias, sendo elas:

  • Alimentos perecíveis: carnes em geral, produtos congelados, laticínios, frutas e legumes;
  • Alimentos não-perecíveis: arroz, feijão, café, soja, milho, macarrão, leite em pó, entre outros itens.

Os alimentos não-perecíveis são considerados carga seca, o que os torna mais resistentes e elimina a adequação do veículo para o transporte.

No transporte de alimentos não perecíveis, normalmente, necessita de um veículo com uma cobertura para proteção e um assoalho seco e limpo. Além disso, os prazos de entrega costumam ser menos restritos.

Por outro lado, no transporte de alimentos perecíveis, adotar precauções adicionais se fazem necessárias, visto que esses alimentos têm uma tendência a se estragar mais rapidamente.

Nesse caso, é fundamental utilizar caminhões refrigerados para manter a qualidade dos produtos.
Abaixo vamos dar algumas dicas de como transportar ambos os tipos de alimentos.

Cuidados essenciais no transporte de alimentos

Cuidados essenciais no transporte de alimentos

O transporte de alimentos perecíveis requer um planejamento bem maior, por parte do gestor de frotas.

Para atender aos prazos e garantir a qualidade do serviço, é preciso desenvolver uma estratégia em conformidade com as regulamentações e que se concentre no monitoramento de temperatura, bem como nas exigências do cliente.

A seguir, vamos destacar alguns pontos que merecem atenção durante o transporte de alimentos. Leia atentamente!

1. Verifique a etiqueta

As etiquetas presentes nos alimentos fornecem informações que orientam como a carga deve ser manuseada.

Portanto, ao receber a carga, verifique se todos os itens estão devidamente etiquetados e em conformidade com as regras da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Se notar que os rótulos estão ilegíveis ou com alguma informação incorreta, entre em contato com o fabricante para realizar as correções antes de prosseguir com o transporte.

Afinal de contas, é na etiqueta que está indicado a forma correta de transporte, como, por exemplo, a capacidade máxima de empilhamento. Sendo assim, é fundamental que os produtos estejam devidamente etiquetados.

2. Esteja atento a data de validade dos produtos

Alimentos prestes a vencer podem representar uma preocupação, pois, caso haja qualquer imprevisto que afete o prazo de entrega, o produto pode perder sua validade durante o trajeto, resultando na perda da carga.

Normalmente, os gestores logísticos já incorporam uma margem de contingência ao planejar as entregas, mas quando essa margem é muito estreita, a opção recomendada é recorrer ao transporte de cargas aéreo.

Portanto, estabeleça como regra no transporte de alimentos perecíveis, realizar a entrega somente quando houver uma margem de segurança considerável para garantir a satisfação do cliente e preservar a reputação da empresa.

É importante lembrar que o transporte de produtos com o prazo de validade vencido é ilegal e pode acarretar prejuízos e multas, tanto para a empresa detentora da carga, quanto para a transportadora de mercadorias.

3. Documentação para o transporte de alimentos

O transporte de cargas requer a devida documentação para ser conduzido de forma legal. No caso do transporte de alimentos, a transportadora também deve possuir a autorização da ANVISA.

Esse documento inclui informações de fiscalização que atestam que o veículo tenha sido submetido a inspeções sanitárias e aprovado para o transporte de alimentos.

4. Monitore a temperatura

Certos alimentos demandam um controle rigoroso da temperatura durante todo o percurso, a fim de preservar sua qualidade e características até o consumo.

Todas as fases do transporte, desde o armazenamento até a escolha do meio de transporte, devem ser cuidadosamente planejadas

O modal escolhido, seja um caminhão ou container, deve estar equipado com sistema de refrigeração capaz de manter a temperatura ideal durante toda a viagem.

Com isso, é de responsabilidade do motorista realizar verificações regulares da temperatura para garantir o cumprimento desse requisito.

5. Armazenagem e embalagem

No caso de a mercadoria permanecer armazenada antes de ser transportada, é de extrema importância que as instalações de armazenagem estejam preparadas ou adaptadas para receber cargas refrigeradas.

A escolha do método de acondicionamento de cargas também é importante para a qualidade e durabilidade do produto.

Embalagens resistentes e seguras, evitam que a temperatura se perca, protegendo os alimentos de danos e contaminações.

Entre as opções comuns para a unitização de cargas, encontram-se as caixas de plástico, madeira ou papelão, que podem ser adquiridas em diferentes formatos, como abertos, semi abertos ou fechados.

Além disso, o uso de papel e serragem pode ajudar no processo de embalagem, evitando movimentações indesejadas e danos aos alimentos.

6. Limpeza do veículo de carga

O interior do veículo de carga, assim como as embalagens de transporte, devem ser mantidos limpos e higienizados.

Caso o caminhão tenha feito o transporte de produtos químicos ou substâncias perigosas, e não tenha passado por uma higienização, os resíduos podem comprometer a qualidade dos alimentos e torná-los impróprios para o consumo.

Por isso é importante estar atento ao que foi carregado anteriormente no baú do caminhão e realizar uma lavagem.

Após a lavagem do compartimento do veículo ou lavagem do container, confira se o veículo está totalmente seco, para evitar que as embalagens e os produtos sejam molhados.

Outro procedimento importante no transporte de alimentos é o controle de pragas, uma vez que roedores, baratas e outros insetos podem contaminar os alimentos e transmitir doenças.

Para lidar com essa questão, é imprescindível utilizar produtos apropriados e seguir protocolos específicos no controle de pragas.

Vale ressaltar que esses processos de limpeza e higienização devem ser realizados de forma regular, e não somente quando parecer visualmente sujo.

Como deve ser o veículo para o transporte de alimentos?

Escolher a forma certa de transporte dos produtos alimentícios é uma forma de garantir que a mercadoria chegue aos clientes sem sofrer quaisquer danos.

Assim como a seleção adequada de embalagens, a escolha do modal de transporte deve levar em conta o prazo de entrega e a segurança das cargas.

Independentemente de o transporte ser refrigerado ou não, é fundamental que a integridade da carga seja protegida contra contaminação e deterioração.

Ao optar por um caminhão ou container refrigerado para o transporte de alimentos, você deve avaliar fatores como ventilação, temperatura e iluminação.

Aqui estão outros requisitos essenciais para o veículo que fará o transporte de alimentos:

  • A cabine do condutor deve ser isolada do compartimento de armazenamento dos alimentos;
  • O piso deve ser vedado para evitar vazamentos de líquidos para o exterior;
  • O caminhão precisa conter estrados e caixas plásticas adequados para acondicionar os alimentos;
  • É necessário verificar se o tempo de circulação do veículo não ultrapassou o limite estabelecido.

 

Leia também: Transporte de container: como contratar?

 

Normas relacionadas ao transporte de alimentos

Normas relacionadas ao transporte de alimentos

As normas que regulamentam o transporte de alimentos vão ajudar a guiar todos os processos logísticos. No Brasil, a fiscalização é de responsabilidade da ANVISA, que é encarregada de elaborar e fazer cumprir as diretrizes que regem o setor.

Nesse contexto, duas normas no setor alimentício devem ser seguidas.

A primeira delas é a Portaria n° 326 da Secretaria de Vigilância Sanitária (SVS), a qual estabelece boas práticas de fabricação e manuseio de alimentos.

No que diz respeito ao transporte, essa norma determina que os veículos escolhidos devem ser adequados para a função, utilizando materiais que evitem a contaminação e que sejam fáceis de limpar.

Já a segunda norma é a Resolução n.º 275 da ANVISA, que cria um regulamento técnico de procedimentos operacionais padronizados.

Em relação ao transporte de alimentos, esta norma estabelece as condições ideais de temperatura e as formas de higienização do veículo para que não comprometa a segurança dos alimentos.

A fiscalização também avalia se:

  • Os alimentos estão na temperatura indicada nas etiquetas;
  • Certificado de Vistoria e Inspeção Sanitária, incluindo o tipo de carga, os dados do transportador, a descrição do carregamento, entre outros detalhes.
  • O cumprimento do Roteiro de Avaliação Sanitária Veicular é seguido.

Lembrando que cada Estado estabelece suas próprias regras para o transporte de alimentos. Portanto, é recomendado fazer um levantamento das diferentes jurisdições no caso de fretes interestaduais.

Conclusão

Para que o transporte de alimentos seja conduzido da maneira adequada, as empresas devem contratar transportadoras especializadas.

Afinal de contas, a seleção de embalagens erradas, o empilhamento incorreto de cargas pesadas sobre cargas mais leves, e a falta de organização na disposição dos produtos no caminhão, são situações que podem resultar em danos e prejuízos ao fabricante.

Portanto, certifique-se de que a empresa de transporte contratada tenha uma equipe treinada. Dessa forma as normas exigidas estarão sendo cumpridas.

 

Procurando uma transportadora de alimentos? Entre em contato com a Rodoquick, especialista em transporte rodoviário e de containers. Presente nos portos de Itajaí, Navegantes, Itapoá, Santos e Paranaguá.

Precisa de ajuda? Converse Conosco
Need Help? Talk to us!