Containers em terminal portuário

Gestão de frotas: como fazer de uma maneira eficiente?

A gestão de frotas engloba muito mais do que apenas cuidar da parte mecânica dos veículos utilizados pela empresa.

Envolve o planejamento de rotas, capacitação dos condutores e outros processos complexos que impactam diretamente na economia de tempo e dinheiro na logística de transporte.

Neste artigo, apresentaremos algumas dicas de como otimizar a gestão de frotas, proporcionando uma maior eficiência operacional.

O que é gestão de frotas?

O que é gestão de frotas?

A gestão de frotas envolve o controle e gerenciamento dos veículos utilizados para transporte em uma empresa ou organização.

Seu principal objetivo é otimizar o desempenho dos veículos e rotas, reduzir os custos operacionais e aumentar a eficiência de todos os processos logísticos.

Para isso, o gestor busca centralizar informações para planejar e executar atividades relacionadas à manutenção preventiva, consumo de combustível, quilometragem, rotas percorridas e muito mais.

A importância dessa gestão

Ao monitorar o estado dos veículos, o consumo de combustível e as rotas utilizadas, é possível tomar decisões mais acertadas e alcançar economias significativas.

Através da gestão de frotas, torna-se possível identificar quais processos estão gastando demais e não sendo tão eficientes para a operação.

Essa análise minuciosa permite o aproveitamento máximo do potencial da frota, otimizando o seu desempenho e garantindo a conformidade com as regulamentações vigentes.

Como funciona a gestão de frotas?

A gestão de frotas é dividida em três áreas principais para melhorar o desempenho operacional:

  • Gestão de Ativos: envolve o controle da frota, desde a compra até a renovação dos veículos;
  • Gestão de Comportamento: foca no treinamento e capacitação dos motoristas para otimizar seu desempenho;
  • Gestão de Insumos: abrange todas as atividades relacionadas ao funcionamento dos veículos, como pneus, combustível, peças e serviços de manutenção.

Diferenças entre frota própria ou terceirizada

A decisão entre ter uma frota própria ou terceirizar depende das necessidades da empresa.

Uma frota própria oferece maior controle, porém requer um investimento muito maior. Já a frota terceirizada pode proporcionar economia de custos, mas resulta em menor controle sobre a operação.

Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, e você pode saber mais, aqui.

Como fazer um gerenciamento de frota eficiente e reduzir os custos?

Como fazer um gerenciamento de frota eficiente e reduzir os custos?

Para garantir um gerenciamento de frota eficiente e reduzir os custos, é importante mapear os gastos mensais, bem como planejar as rotas de forma estratégica.

A seguir veja dicas que podem auxiliar na gestão das frotas.

Identifique a estrutura e recursos da empresa

É fundamental conhecer o cenário atual da empresa para identificar todos os recursos disponíveis.

Nesta etapa, é importante criar uma lista que contenha informações relevantes, como:

  • o número de veículos que compõem a frota, como caminhões, carretas, carros, motos, etc;
  • condição atual de cada um;
  • quilometragem percorrida;
  • gastos mensais com manutenção, revisões e trocas de peças.

Essa etapa visa reconhecer a real estrutura do setor logístico, permitindo a mensuração dos gastos individuais de cada veículo e a projeção de despesas futuras.

Crie uma política de uso para a frota

Ao criar uma política de utilização para a frota, é possível estabelecer diretrizes claras sobre como os veículos devem ser utilizados, resultando em economia com manutenção preventiva e reparos.

Para criar a política de uso da frota, é importante pensar na:

  • finalidade de uso do veículo;
  • velocidade permitida;
  • horários e locais de utilização;
  • especificar as formas de abastecimento aceitáveis, como postos de gasolina autorizados e locais onde os veículos devem ser abastecidos;
  • controlar a regularidade das CNHs dos condutores.

Planejamento e gerenciamento de rotas

Esse é o ponto mais importante, pois é aqui que você criará o planejamento.

Ao obter informações sobre a estrutura da empresa e as condições da rota atual, é possível identificar os pontos de melhoria.

Alguns pontos a serem considerados:

  • Pedágios: observe a presença de pedágios ao longo das rodovias. Avalie não apenas a quantidade de pedágios, mas também os preços cobrados;
  • Otimização de rotas: Identificar a rota mais rápida para as entregas é essencial para otimizar o tempo e aumentar a produtividade da frota;
  • Infraestrutura ao longo do trajeto: Verifique se os trechos possuem hotéis, postos de combustível e outros serviços essenciais para que os motoristas possam parar sempre que necessário.

Após observar esses aspectos, é importante registrar a quilometragem e o consumo de combustível. Analisar os custos gerais proporciona uma visão clara dos gastos e possibilita identificar oportunidades de redução.

 

Leia também: Como otimizar as operações no transporte rodoviário

 

Estratégias e ferramentas

Após estabelecer o planejamento, a empresa pode implementar estratégias para aprimorar a gestão da frota. E, para isso, pode recorrer a diversas ferramentas e tecnologias disponíveis no setor logístico.

Essas ferramentas podem ajudar no planejamento de rotas ao realizar funções de roteirização, monitoramento das cargas, veículos e motoristas, além de auxiliar nas atividades financeiras.

Faça uma manutenção mais rígida

Para evitar problemas maiores, faça uma manutenção de caminhão mais abrangente. Para isso, verifique os seguintes itens:

  • Bateria;
  • Sistema elétrico;
  • Freios;
  • Óleo;
  • Radiador;
  • Correias do motor;
  • Filtros de combustível;
  • Suspensão do carro.

Realize o gerenciamento dos pneus

Como parte da manutenção preventiva, o gerenciamento dos pneus deve ser feito para ajudar a evitar acidentes, como também aumentar a vida útil de todos os componentes dos veículos.

Pneus bem conservados são fundamentais para garantir a segurança do motorista e passageiros, pois oferecem melhor aderência à estrada, reduzindo o risco de acidentes, estouros, além de proporcionar economia de combustível.

Quando o pneu fica danificado, ele apresenta sinais de desgastes irregulares ou prematuros, além de ruídos estranhos. Esses danos podem ser causados por falta de pressão, uso em condições adversas ou rodízio incorreto.

A seguir, confira algumas dicas para manter seus pneus em boas condições e garantir a segurança na condução:

Mantenha os pneus calibrados corretamente

Manter a correta calibragem dos pneus é fundamental, tanto pela conservação da borracha, quanto pela dirigibilidade.

É recomendado calibrar os pneus mensalmente, com a pressão recomendada pelo fabricante. Cada veículo possui uma medida específica determinada pela montadora do veículo.

Faça o rodízio regularmente

O rodízio dos pneus consiste na troca periódica da posição dos pneus, colocando os dianteiros na parte de trás e os traseiros na parte da frente. É recomendado fazer essa troca a cada 10.000 km percorridos.

Essa medida ajuda a garantir que os quatro pneus se desgastem de forma uniforme, evitando que o motorista tenha pneus em diferentes condições.

Cuide do alinhamento e do balanceamento do seu carro

O alinhamento garante que as rodas do carro fiquem retas e paralelas ao asfalto. Isso é importante para evitar o arraste e o desgaste excessivo dos pneus.

Se você perceber o volante puxando para um lado ou uma vibração durante a condução, pode ser um sinal de desalinhamento ou balanceamento incorreto.

Recomenda-se fazer o alinhamento a cada 10 mil km rodados ou a cada 6 meses, especialmente se você observar esses sinais.

A falta de alinhamento adequado pode reduzir a vida útil dos pneus em até 50%. Além disso, ambos podem causar danos significativos aos pneus e ao sistema de suspensão. Portanto, é essencial manter o alinhamento e o balanceamento em dia.

Vale lembrar que circular com um veículo em condições inadequadas é considerado uma infração grave, segundo o Art. 230, Inciso XVIII, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Além da penalidade financeira, serão adicionados 5 pontos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH). E em casos mais críticos, o veículo pode ser até apreendido.

Avaliação do desempenho das estratégias

Nesta etapa, o profissional encarregado realizará o monitoramento e avaliará se as práticas implementadas estão sendo eficazes e trazendo resultados satisfatórios para a empresa.

Para isso, basta fazer alguns questionamentos:

  • As rotas escolhidas estão de fato acelerando as entregas?
  • Os motoristas estão cumprindo os prazos estabelecidos?
  • A empresa conseguiu reduzir os custos relacionados à manutenção, pedágios e combustível?

Essas perguntas ajudam a saber se as estratégias estão alcançando os objetivos desejados e se há espaço para melhorias ou ajustes no processo.

Gestão de frotas e o transporte de containers

Gestão de frotas e o transporte de containers

Para realizar o transporte de container é essencial que a empresa seja capaz de gerenciar adequadamente as rotas.

Para realizar esse tipo de transporte é necessário ter veículos apropriados, além de ser importante garantir a segurança da carga, evitando danos causados por estradas em más condições.

Ao gerenciar a rota como um todo, é possível aumentar a segurança e a agilidade no transporte de containers.

Se você está procurando por uma empresa que ofereça planejamento de rotas, a Rodoquick é uma transportadora rodoviária especializada em contêineres, presente em diversos portos.

Entre em contato conosco para obter um orçamento. Nos siga também nas redes sociais: Facebook e Linkedin.

Precisa de ajuda? Converse Conosco
Need Help? Talk to us!