Containers em terminal portuário

A História do Porto de Itajaí e Navegantes

O Porto de Itajaí e sua História no Transporte de Cargas

A movimentação de mercadorias na região onde, hoje, está situado o porto de Itajaí, deu-se no início do século XIX, quando a população da região ainda começava a utilizar os rios nas proximidades para o transporte de cargas. Nessa época, o comércio se dava de modo informal, sem interferência do governo, como regulações e impostos.

Com o passar do tempo, a movimentação foi crescendo e, em 1912, o governo iniciou estudos para a construção de molhes, que possibilitariam a atracação de navios e embarcações com maior tranquilidade e eficiência, marcando o início do desenvolvimento da região.

Porto de Itajai - Molhes - Foto antiga
“Molhe é uma obra marítima de engenharia hidráulica que consiste numa estrutura alongada que é introduzida nos mares ou oceanos, apoiada no leito submarino pelo peso próprio das pedras ou dos blocos de concretos especiais, emergindo da superfície aquática. É, portanto, uma longa e estreita estrutura que se estende em direção ao mar.” (Wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Molhe)

Ao longo dos anos, obras foram realizadas, aumentando a área portuária, reforçando as estruturas com concreto armado, pavimentando pátios em paralelepípedos e adquirindo e instalando equipamentos de carga e descarga. Em 1938, foi construído o primeiro armazém do porto de Itajaí e, em 1977, o prédio da administração do porto.

O Porto nas decadas de 60 e 70

Na década de 60 a 70, o principal produto exportado eram madeiras oriundas do Planalto, do Oeste e Meio Oeste de Santa Catarina.

Entretanto, após uma grande queda em seus preços, a madeira perdeu espaço no mercado externo e no transporte de cargas no porto, dando oportunidade para o crescimento de outros produtos e mercadorias.

Os investimentos no porto aumentaram consideravelmente a partir de 1975, quando a Empresa de Portos do Brasil SA (Portobras), empresa pública brasileira, criada neste ano, para gerenciar os portos do governo federal e auxiliar na execução da Política Portuária Nacional, passou a administrá-lo.

Em 1990, a Portobrás foi extinta, causando transtornos para os portos públicos, e exigindo uma resposta das autoridades. Neste momento, a administração do porto de Itajaí foi passada à Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) que, mesmo sendo uma entidade do estado de São Paulo, passou gerir os negócios locais do porto de Santa Catarina.

Posteriormente, com a municipalização do porto, o mesmo foi colocado sob a jurisdição do município de Itajaí, e assim continua até os dias atuais. Sob essa nova administração, a cidade instituiu políticas de concessão para uso da estrutura para negócios por parte de empresas, trazendo capital privado e possibilitando uma rápida expansão do porto.

O Porto de Itajaí Atualmente

Nos últimos 15 anos, o porto de Itajaí vem superando o número de movimentação de mercadoria e incorporando novos terminais em sua estrutura.

Em 2008, ocorreu uma enchente que ocasionou um gargalo no escoamento de cargas. No entanto, as exportações e importações logo voltaram e, hoje, o complexo portuário de Itajaí é o segundo maior em movimentação de cargas no país, atrás apenas do porto de Santos (principalmente carga containerizada).

Na exportação, destacam-se os congelados (como frango, por exemplo), transportados em containers reefers e, na importação, máquinários, motores e equipamentos, transportados em containers dry e high cube.

Porto de Itajai e Navegantes - Foto aérea
Foto aérea do Porto de Itajaí e Navegantes, um dos maiores no transporte de containers. Fonte: Google Maps

Em parceria com a Transportadora Bravo, a RodoQuick transportes faz parte das transportadoras em Itajaí e Navegantes, fazendo o transporte de containers entre o porto e a planta de seus clientes. E então… vamos trabalhar juntos?