Containers em terminal portuário

TRANSPORTADORA DE SANTOS – CAMINHÕES E CARRETAS – TIPOS E CLASSIFICAÇÕES (PARTE 1/2)

Por Vitor Schäfer Serra
Da RodoQUICK, em Santos – 05/09/2016 – Edição 004

Para quem trabalha na área de logística, seja como transportadora, seja como contratante do transporte, é essencial conhecer os tipos de caminhões existentes. Sendo assim, resolvi dividir com os leitores uma espécie de “manual” que escrevi quando comecei a trabalhar com transporte, no qual concentro, num único texto, diversos materiais encontrados pela internet, organizando as informações e buscando dar uma ideia das diversas classificações existentes e contribuir com o aumento do conhecimento dos profissionais da área.

Vamos começar por um conceito básico: quanto maior a força aplicada pelos pneus sobre o asfalto, maior o desgaste da estrada. Sendo assim, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) limitou o peso máximo, por eixo, a ser carregado pelos veículos. Este é um dos pontos de partida para diferenciar os tipos de caminhões existentes, que podem levar bastante peso, desde que distribuído pela quantidade adequada de eixos.

Desse modo, os caminhões são classificados de acordo com 3 características principais: capacidade de carga, quantidade e distância entre eixos.

Os veículos utilizados no transporte rodoviário são classificados em caminhões e carretas, sendo que, neste primeiro post, iremos falar sobre os caminhões, deixando as carretas para mais adiante.

CAMINHÕES

Caminhões são veículos fixos, monoblocos, constituindo-se de uma única parte que incorpora a cabine, com motor, e a unidade de carga (carroceria). Podem apresentar os mais variados tamanhos, ter 2 ou 3 eixos, podendo atingir a capacidade de carga (payload*) de até cerca de 23 toneladas.

Apresentam vários modelos, para os diversos tipos de cargas, como os de carroceria aberta, em forma de gaiola, plataforma, tanque ou fechado (baú), sendo que estes últimos podem ser equipados com maquinários de refrigeração para transporte de cargas congeladas e refrigeradas.

Veículo Urbano de Carga (VUC)

É o caminhão leve, de menor porte, apropriado para áreas urbanas. Possui a largura máxima de 2,2 metros, comprimento máximo de 6,3 metros e limite de emissão de poluentes. A capacidade do VUC é de 3 toneladas.

Toco ou caminhão semi-pesado

É o tipo que tem como característica o eixo simples na carroceria, ou seja, um eixo frontal e outro traseiro de rodagem simples. Sua capacidade é de até 6 toneladas, com peso bruto** de até 16 toneladas e comprimento máximo de 14 metros. É um veículo que possui carroceria menor que um caminhão trucado, possui apenas um eixo e suporta menos peso que o tipo truck.

Truck ou caminhão pesado

É o caminhão que possui o eixo duplo na carroceria, ou seja, dois eixos de rodas juntos, com a finalidade de carregar carga maior e com melhor desempenho do veículo. Um dos eixos traseiros recebe a força do motor. Sua capacidade é de 10 a 14 toneladas, com peso bruto** máximo de 23 toneladas e comprimento de até 14 metros.

Essas são as classificações básicas dos caminhões utilizados nas rodovias brasileiras. No próximo post Artigo 5 (CAMINHÕES e CARRETAS – Tipos e classificações – parte 2/2), iremos falar sobre outro tipo de veículo: as carretas, que são veículos articulados e, portanto, possuem unidades de tração (cavalo mecânico) e de carga (semi-reboques) em módulos separados.

Glossário:

Tara: é o peso do veículo em si.
* Payload (Capacidade de carga): é a sua lotação, ou seja, o máximo de peso que pode ser colocado sobre o veículo.
**Peso Bruto: é a soma da Tara + Payload.